Dicas para uma colagem perfeita da fita de borda

A colagem da fita de borda pode ser feita manualmente ou com a coladeira. A aplicação manual é mais simples do que a com a coladeira, mas ambos os métodos exigem bastante atenção. Afinal, o objetivo é obter um móvel com acabamento impecável. Veja os cuidados que você deve adotar:

Manual
1. O primeiro passo é limpar a superfície que receberá a cola e deixá-la plana, para que a fita fique uniforme.

2. Depois, aplique uma camada da cola de contato na placa, aguarde a secagem total da camada e passe a segunda demão. Aplique a cola também na fita de borda, e lembre-se de que as camadas de cola devem ser finas e bem distribuídas.

3. Aguarde o tempo recomendado pelo fabricante antes de fazer a junção da fita com a placa. Para não danificar a fita na hora da aderência das duas partes, use um esfregador de nylon ou de madeira envernizada.

4. Para dar acabamento às fitas finas, use um destopador manual ou estilete. Para as grossas, utilize um estilete ou uma serra de ferro.

5. Passe a lima para dar acabamento.

6. Na hora de refilar as fitas finas, use o refilador manual ou um estilete.

7. Para as grossas, utilize um refilador manual ou tupia. É importante que a chapa esteja fixada e o refilador bem apoiado sobre ela. O movimento deve ser feito com as duas mãos.

8. Depois disso, remova o excesso de cola com um pano de algodão com solvente.

9. No acabamento final, utilize lixa 220 para as fitas finas. E para não machucar a fita e nem a chapa, lembre-se de que a lixa deve ficar sempre na posição diagonal.

10. Para as fitas grossas, use uma plaina, que garante um acabamento uniforme e arredondado das bordas, sem agredir a chapa.
Coladeira

O processo de colagem da fita de borda com a coladeira segue mais ou menos os mesmos passos do realizado manualmente, mas antes de iniciá-lo você deve observar alguns aspectos, como:

• Espessura máxima da fita de borda
• Largura máxima de painel permitida
• Velocidade de avanço
• Temperatura da cola

1. A primeira etapa é a entrada da chapa na topia, que corrige as imperfeições do corte antes da aplicação da cola.

2. Depois, o coleiro aquece o hot melt até o seu ponto de fusão, de acordo com a especificação do fornecedor de cola, e o mantém aquecido. Nesta fase, verifique se a temperatura da cola está adequada. Se estiver muito baixa, a colagem não será satisfatória. Se ultrapassar o ponto, pode carbonizar a fita.

3. Na sequência, o rolo aplicador injeta a quantidade correta de cola na chapa antes da junção com a fita. Aqui, o excesso de cola pode provocar a soltura da fita, e a baixa dosagem prejudicar a adesão entre a chapa e a fita.

4. A peça recém-agrupada passa, então, pelo rolo de pressão, que vai auxiliar na colagem; pelo destopador, que remove o excesso de fita antes e depois da peça; e pelo refilador, que retira o excesso de fita acima e abaixo da peça e arredonda os cantos vivos.

5. Por último, a peça passa pelo raspador de fita e pelo raspador de cola, para aperfeiçoar o acabamento.

Nas coladeiras de pequeno e médio porte que não possuem grupo refilador, essa etapa deve ser realizada depois, por refilador externo ou acabamento manual. Nas coladeiras industriais, basta verificar os parâmetros de produção, volume de cola, velocidade da esteira, etc.

Gostou das nossas dicas? Então, acompanhe sempre o nosso blog!

(1) Comentário

Comentários Facebook

Uma resposta para Dicas para uma colagem perfeita da fita de borda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *